Maltby Street Market - Londres


* Post convidado por Adriana Raupp



Antes de falar sobre qualquer coisa, deixa eu contextualizar: comida me trouxe à Londres. Comida não, big food. Saí do Brasil em agosto de 2016, morei 2 anos em Portugal (aka meu paraíso gastronômico) e vim pra Londres por causa de trabalho. Cheguei aqui no dia 11 de julho de 2018.


Contextualizado. Agora, voltando ao assunto do post: Maltby. Muitos londrinos não conhecem esse mercado (entendo, a cidade tem vários, alguns internacionalmente famosos como o Borough Market). Eu tive a sorte de ficar sabendo do Maltby por uma amiga. Encontramos com ela num beer garden para ver o jogo do terceiro e quarto lugar da Copa. Tínhamos acabado de assinar o contrato de aluguel da nossa casa, e quando informamos nosso futuro endereço, ela se lembrou de um mercado de comida que tinha ido muito perto de lá e que era muito bom.



No dia seguinte fui lá. Pouco ansiosa… muita coisa estava em jogo, esse poderia ser o “meu” mercado! Barato, 10 min a pé da futura casa e com comidas do mundo inteiro (ok, não inteiro, mas quase, vai).


O Maltby fica na Maltby Street, numa área delimitada onde não passa carro, entre bares e o trilho do trem. Abre sábados e domingos, de 10 às 17h. A área também atende por Rope Walk, que é uma faixa estreita e reta, onde longos fios de material eram colocados antes de serem torcidos em corda. Diga-se, a Maltby Street fica em uma região onde hoje são prédios residenciais mas antes eram armazéns de porto.


Portugal tem comida excelente. Longe de mim reclamar. Mas a oferta não é multicultural. Meu marido português conta que lembra quando a pizza chegou lá (e ele tem menos de 30 anos)! Já Londres, centro do mundo ocidental por alguns séculos, é, até hoje, destino de imigrantes de todos os hemisférios da Terra, não importa como segmente: Sul e Norte, Leste e Oeste. Ainda bem, porque os ingleses não são conhecidos pela boa cozinha. O único representante de britishness no Maltby chama ovo escocês, ou seja, nem inglês é!


Scotch egg (ou bolovo, para os íntimos) e comida etíope

As barracas do Maltby mudam pouco. A primeira que fui visitar foi a Beefsteaks. Eu sou altamente influenciável por fotografias de comida, e quando googlei o mercado, foi a foto deles no site que mais me deu água na boca. Churrasquinho com batata frita, basicamente (#sddsPF). E molhos, ingleses ADORAM molhos. Pedi horseradish, só pela emoção da picância (mesma família do wasabi), porque o meu preferido deles é chimichurri. Posso dizer que, um ano e meio depois, ainda é uma das minhas comidas preferidas do mercado.


Estava há quatro dias em Londres, comendo mal em todas as refeições, e depois desse almoço, como diria Hemingway em “Paris é uma festa”, a sensação de vazio desapareceu e naquele momento eu podia começar a ser feliz.


Já fui ao mercado com mais frequência, hoje vou menos porque conheço outros lugares na cidade, mas sempre volto lá, principalmente quando tenho algum amigo ou familiar visitando. Também é uma ótima opção quando quero marcar com algum amigo e estou com preguiça de entrar num transporte (tudo em Londres é longe). Para contabilizar, além do churrasco, no Maltby já comi no etíope, no norte africano, no persa, no queijo quente francês, no caribenho, no falafel, no vietnamita, no japonês, no venezuelano, no equatoriano, no scotch egg e ainda faltam alguns para provar, inclusive o burrito brasileiro (imagina um PF em forma de wrap)!



Ao meu ver, a maior vantagem de mercados é a praticidade, cada um escolhe sua comida, paga quanto puder e ficam todos felizes. Eu sempre fico quando vou ao Maltby.


O que você precisa saber

Maltby Street Market — Londres

Funcionamento: sábados e domingos, de 10 às 17h

O que encontrar: comida etíope, brasileira, francesa, escocesa, vietnamita, japonesa, venezuelana, equatoriana, árabe, norte africana e persa