O que fazer em Petrópolis



A poucos quilômetros de distância do Rio, Petrópolis não costuma ser um destino must go dos guias, mas deveria ser.


Também conhecida como Cidade Imperial, é considerada a cidade mais segura do estado do Rio de Janeiro e foi fundada por dom Pedro II em 1843 através de um decreto que determinava o assentamento de uma povoação (a ser formada com a vinda de imigrantes alemães) e a construção de um palácio de verão. A partir de então, durante o verão, a cidade tornava-se a capital do Império do Brasil, com a mudança de toda a corte.


Hoje a cidade é cheia de bons bares e restaurantes, microcervejarias, muitas casas da época do Império e museus bem conservados, além de uma catedral em estilo gótico. Fui em dezembro de 2019 e fiquei surpresa: a última vez que tinha ido ainda era criança, num passeio de escola, e não me lembrava de a cidade ser tão legal.


Para ver todos os pontos, um fim de semana é suficiente, mas com muita disposição também dá pra fazer tudo num bate-e-volta do Rio.


Palácio de Cristal


Inaugurado em 1884, o Palácio de Cristal fica na entrada do centro histórico de Petrópolis e foi encomendado pelo Conde D’Eu, marido da Princesa Isabel. A estrutura de ferro veio pré-moldada da França e foi montada em Petrópolis pelo engenheiro Eduardo Bonjean.


O palácio de vidro foi feito para abrigar as feiras de produtos agrícolas e de pássaros, tradicionais na região. Hoje é utilizado para várias festas e eventos da cidade.


Endereço: Rua Alfredo Pachá

Funcionamento: domingo a terça-feira: 9h às 18h; quarta a sábado: 9h às 21h. Preço: entrada franca


Museu Imperial



O Museu Imperial de Petrópolis, casa do maior acervo do Império, é um enorme palácio rosado de estilo neoclássico. A casa funcionava como o palácio de verão da família real e foi transformada em museu em 1940 por decreto do então presidente Getúlio Vargas.


Com acervo e estrutura muito bem conservados, o museu abriga cerca de 300 mil itens históricos entre móveis, roupas, documentos, pinturas, esculturas e fotografias que retratam os 49 anos do Segundo Reinado. Para entrar, é necessário usar pantufas embaixo dos sapatos e deslizar pelo piso lisinho dá uma graça a mais ao passeio!


Além do palácio, a área do museu conta com um grande jardim com esculturas e café.


Endereço: Rua da Imperatriz, 220

Funcionamento: de terça a domingo, das 11h às 17h30. Preços: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada). Crianças de até 6 anos e idosos a partir de 80 anos não pagam.


Palácio Amarelo

Atualmente sede da Câmara Municipal de Petrópolis, o Palácio Amarelo conta com exposição de obras de arte no seu interior e tem entrada gratuita.


Endereço: Praça Visconde de Mauá, 89

Horário de visitação: todos os dias, das 10h às 17h. Preço: entrada franca


Casa da Princesa Isabel

Casa de veraneio de Princesa Isabel e seu marido, o Conde D’Eu. A casa não está aberta para visitação, mas vale dar uma olhada no jardim, com suas camélias brancas, principal símbolo do movimento abolicionista.


Endereço: Av. Köeller, 42


Catedral de São Pedro de Alcântara



Com estilo neogótico francês, a igreja começou a ser construída em 1884, mas suas obras só terminaram em 1929, 30 anos após a proclamação da República.


A igreja conta com vitrais e pinturas de Carlos Oswald e esculturas de Jean Magrou. No altar gótico há relíquias de São Magno, Santa Aurélia e Santa Tecla trazidas de Roma pelo Cardeal D. Sebastião Leme. Além disso, há também os restos mortais de Dom Pedro II, sua esposa Dona Teresa Cristina, Princesa Isabel e Conde D’eu em um mausoléu logo na entrada da igreja.


Endereço: Rua São Pedro Alcântara, 60

Horário de visitação: todos os dias, das 8h às 18h Preço: entrada gratuita


Museu Palácio Rio Negro


O palácio foi construído em 1889 pelo Barão do Rio Negro, um próspero produtor de café do Vale do Paraíba fluminense. Nos primeiros anos do século 20 o casarão foi residência de verão de vários presidentes do Brasil, de Washington Luís até Lula. Hoje o Palácio Rio Negro é um museu com entrada gratuita, onde é possível ver móveis, obras de arte, esculturas e arquitetura original (os pisos são lindos!).


Endereço: Av. Köeller, 255

Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 17h. Preço: entrada gratuita


Praça 14 Bis


A praça em si não é nada de mais, mas vale passar para dar uma olhadinha no caminho da casa de Santos Dumont. Lá há uma réplica do 14 bis, a mais famosa invenção do aviador, que viveu na cidade por muitos anos.


Endereço: Av. Roberto Silveira, 43


Museu Santos Dumont


A antiga casa de Alberto Santos Dumont hoje é um dos pontos turísticos mais famosos de Petrópolis, A compacta casa com arquitetura original mostra algumas engenhocas do inventor, com aposentos e móveis originais, e conta sua história.


Endereço: Rua do Encanto, 22

Horário de funcionamento: de terça a domingo, das 9h às 17h. Preços: R$8 (inteira), R$4 (meia-entrada). Crianças de até 6 anos e idosos acima dos 65 não pagam.


Cervejaria Bohemia



Petrópolis tem uma tradição de cervejas artesanais com várias microcervejarias pela cidade. A Cervejaria Bohemia, a cervejaria mais antiga do Brasil, oferece um tour com degustação com 20 ambientes de visitação que contam a história da fábrica, da marca e de outros rótulos.


O tour sai por R$39 (inteira) com direito a 3 degustações e copo de brinde.


Endereço: Rua Alfredo Pachá, 166

Horário de funcionamento: de terça a quinta, das 12h às 17h; sábados, das 10 às 18h. Preços: R$ 39 (inteira) e R$ 19 (meia-entrada).


Clique aqui para ver um mapa de todas as atrações acima no Google Maps


Palácio Quitandinha

Construção megalomaníaca para os padrões da época, o Palácio Quintandinha foi criado para ser o maior hotel cassino da América do Sul, inaugurado em 1944.


Com fachada em estilo normando francês e seu interior em rococó hollywoodiano, imortalizado por Doroth Draper, o prédio é, no mínimo, pitoresco. Próximo à saída para o Rio, vale a visita quando estiver descendo a serra. Hoje o prédio é administrado pelo SESC Rio e é aberto para visitações.


Endereço: Av. Joaquim Rolla, 2

Horário de funcionamento: terça, domingos e feriados, das 9h30 às 17h. Preços: R$ 8 (inteira), R$ 4 (meia-entrada) e R$ 16 para visitas guiadas ou audioguiadas.


ONDE COMER

Restaurantes e bares que curti no centro de Petrópolis


Alva Café

Mini café com ótimas opções para lanche e chope Colorado. Recomendo o affogato!

Endereço: Av. Ipiranga, 222

Cervejaria Bohemia

O restaurante da cervejaria tem um cardápio focado em carnes e comida estilo cervejeiro, com opções de churrasco, feijoada e hambúrgueres. Achei tudo bem gostoso.

Endereço: Rua Alfredo Pachá, 166


Transmontano

Português bem tradicional que fica dentro do Hotel Bragança. Atendimento rápido e várias opções tradicionais portuguesas como bacalhau, sardinhas, alheira e pastel de natas (delicioso, por sinal).

Endereço: Rua Raul de Leoni, 109


Bordeaux Vinhos

Casa grande com ambiente gostoso e carta de vinhos enorme. A comida não achei incrível, mas achei bem legal a opção de buffet de antepastos por peso. Voltaria para tomar um vinho à noite e beliscar.

Endereço: Av Ipiranga, 716


BrewPoint

Bar da microcervejaria mais premiada de Petrópolis. Chopes excelentes. A cervejaria também oferece um tour aos sábados, em outro endereço, mas este não conheci. Saiba mais aqui.

Endereço: Av. Roberto Silveira, 1121